quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Die For You 26

Dedicado a todas as minhas queridas leitoras que comentam e pacientemente esperam eu postar a continuação do Imagine, e também a cada leitora nova que eu respondi os comentários e as que eu não respondi. Agradeço por vcs que comentam e elogiam as minhas histórias, e também por divulgarem meu imagine. 
Muito obg, amo vcs <3
Aproveitem ^^


*VC ON*

Depois do Andy ter visto toda a cena na sala vip, e de todo aquele momento tenso, onde eu queria correr pros braços dele e nunca mais sair. Onde o meu corpo tremia mais que tudo por medo do Andy achar que eu era a culpada. Onde eu tinha medo que algo acontecesse com ele. Eu não consegui pensar em nada. Quando tomei coragem pra falar algo, não consegui terminar a frase, Marcus puxou minha cabeça e me fez calar a boca. Tinha medo que ele fizesse algo contra as pessoas que eu amo, e juro que fiquei confusa quando eles começaram a falar sobre uma menina chamada Helena.

Quem é ela?

O que houve com ela?

E o mais importante: O que o Andy tem a ver com ela?

Antes que eu pudesse perceber, eu estava sendo arrastada. O cano da arma, que antes estava frio sob minha cabeça, agora se direcionava ao Andy. Vi o desespero nos olhos dele quando ele entrou na sala. Vi quando o medo dominou seus sentidos no momento que a arma veio parar no meu crânio outra vez. Vi também a impotência, o medo, a tristeza e a dor enquanto eu era levada para Deus sabe lá onde, mas o que mais me doeu foi quando seu grito de dor perfurou meus ouvidos levando tudo de mim, me fazendo chorar. Até que eu apaguei antes de chegar no estacionamento.

---x----x---x----

(Andy): Você sabe que eu sou um monstro. - ele afirma com os olhos cheios de lágrimas, olhar pra ele dessa forma corta meu coração. - Você só vai se afundar se continuar comigo.
(Você): Por que você está dizendo isso Andy? - queria abraça-lo, mas não posso. Ele está a mais dez mil quilômetros de distância de mim. Sinto-me impotente. Distância idiota! - Você não é um monstro, você é e sempre será meu porto seguro. 
(Andy): Não diga mentiras (seu nome)! Você sabe que vai acabar sendo destruída por mim... - ele puxa os cabelos e começa a andar de um lado para o outro em frente a web can. - E vai ser minha culpa, como sempre foi... Você vai acabar da mesma forma que todos acabam quando estão perto de mim. Por que você insiste em ficar comigo eim? Por quê? - ele grita enquanto as lágrimas molham seu rosto e eu vejo seu lábio inferior tremer. Quando vou responder ele não deixa. - Ela também achava isso, e acabou da pior forma... Pálida e sem vida, em um roupa negra que nada combinava com ela e pior ainda, morta, enquanto eu só podia pedir a Deus que cuidasse de sua pobre alma quebrada por um idiota como eu.

Meu menino está transtornado.

A memória se repete em minha mente.

"Ela também achava isso, e acabou da pior forma... Pálida e sem vida, em um roupa negra que nada combinava com ela e pior ainda, morta." 

Será que era dela que ele estava falando? Da Helena? Na época que ele me disse isso eu não me importei muito com essa parte. Eramos só amigos, e nunca imaginei que eu iria me encontrar com ele, ou que nossas mães fossem amigas, ou até mesmo que a gente fosse QUASE morar junto.

Suspiro.

Tem muita coisa sobre o Andy que eu não sei, e isso tá me matando.

Será que ele ainda ama ela?
Será que eles namoraram?
Será que ela era melhor que eu?
Será que ela amava ele?
O que aconteceu com ela?
Por que ele ficou tão transtornado quando o Marcus falou dela?

Horas se passam e eu ainda continuou sem as malditas respostas. Meu corpo doi pela forma que eu estou. Meu pulso esquerdo está algemado à cama de ferro que fica no canto claro do quarto. Aqui fede a morfo. Somente o lugar que eu estou, é que tem algum tipo de luz feita por uma parte da janela que está quebrada. Se eu pudesse eu tentaria fugir, tenho certeza que todos estão muito preocupados comigo, principalmente o Andy, mas também tem a minha mãe, a minha tia e Amy. Espero que elas estejam bem.

Faço uma prece mentalmente, da forma que minha mãe me ensinou quando eu era pequena. Não que eu seja uma pessoa de fé, mas eu acredito que Deus ou alguém que rege o universo está cuidando de nós e sempre que pedimos nos dá uma ajudinha.

Minutos depois alguém abre a porta e me joga uma garrafinha de água e um pouco de comida num prato. Minha barriga da sinal de vida, e depois de horas sem comer, descubro que eu estou com fome, mas não vou comer. Pode ter veneno nisso ai.

(XxXx): Não tem nada ai. Pode comer. - a pessoa que jogou a comida pra mim responde a minha pergunta não feita.
(Você): Não quero. - digo fraca.
(XxXx): Você vai morrer se não comer. - ele insisti.
(Você): Vou morrer de qualquer forma. Não faz diferença.
(XxXx): Pelo menos morra comendo. Não é isso que vocês jovens dizem? - ele ri. (heuehue, bom, eu - Gabriela - digo isso, e planejo quase isso kkkkk zoa '-')
(Você): Não te perguntei nada. - corto ele.
(XxXx): Então tá. Faz o que você quiser.

Ele sai e fecha a porta novamente.

Adormeço.

x--x---x---  

(Marcus): Esse idiota acha que eu to brincando é? Só pode! - escuto a voz do Marcus. - Como aquele filho da puta pôde acha de pode passar a perna em mim, eim? Ah, mas eu vou acabar com a festa dele.
(XxXx): E o que você vai fazer chefe?
(Marcus): Abre essa porra dessa porta. - meu coração se acelera e eu sinto vontade de sair correndo dali.
(XxXx): Ok. - escuto a porta sendo aberta e uma luz muito forte atinge meu rosto me cegando até que um corpo atravessa na frente e caminha na minha direção.
(Marcus): Acho que suas horas estão contadas, vagabunda. - ele segura meu rosto com uma mão e a outra no telefone. Eu me afasto. - Seu filho da puta! Eu vou matar todo mundo! Eu fui muito paciente com você rapaz, mas você não soube aproveitar a chance que eu lhe dei, se prapare para os funerais. - ele escuta o que estão dizendo, provavelmente o Andy, meu coração para - Pode atirar nessa vadia.

Ele desliga na cara do Andy.

(Marcus): Mas antes... A gente vai brincar com você. - ele começa a ri e o outro cara acompanha ele.

O que?!

Marcus se aproxima de mim junto como outro cara e eu tento a todo custo ir pra longe deles, mas infelizmente a droga da corrente não deixa e só me machuca mais. Minhas costas batem contra a parede gelada e um arrepio percorre minha espinha. Eles chegam mais perto, rasgam minha blusa, e começam a desabotoar minha calça. Lagrimas escorrem em meu rosto e eu começo a gritar. Um tapa forte atinge meu rosto e sinto um gosto metálico na minha boca. Sangue. Mãos estranhas percorrem meu corpo, apertando e alisando. Minha calça é retirada de mim e um  vento frio atinge meu corpo.

(Você): Não! Por favor! Me matem, mas não me toquem! - grito me debatendo.

Eles não me respondem nada. Me espancam mais. Um chute atinge meu estomago, meu cabelo é puxado, e algo se choca contra minha coluna. Abro os olhos em alerta. O outro cara estranho está com um sinto na mão e chicoteia novamente contra minhas costas.

Grito de dor.

Marcos enfia sua língua em minha boca, e aperta meu seio. Sinto vontade de vomitar. As cintadas param, e sinto minha calcinha sendo retirada. Tento chuta-los e afasta-los, mas não consigo. Estou sem forças. Fecho minhas pernas, mas logo elas são escancaradas e a boca do Marcos sai da minha enquanto ele me amordaça. Rezo a Deus pra que isso acabe logo porque eu não aguento mais. Grito mais uma vez quando um deles morde meu seio esquerdo e um deles me penetra. Tenho certeza que vai sangrar.

"(Andy): Posso te contar uma coisa? - ele olhou pra mim. Lindo. Como sempre."

Um tapa na cara.

"(Você): O que foi? - eu perguntei confusa. Alisando seu rosto másculo."

Um puxão de cabelo.

"(Andy): Ah.. Você não vai acreditar em mim. - ele parece envergonhado."

Outra mordida.

"(Você): Claro que vou! Por que não iria? - digo ofendida"

Outro pontapé.

"(Andy): Sei lá... Você é diferente. Vai que eu recebo um não?"

Algo gelado percorre minha perna e um liquido sai do local, escorrendo. Abro um frestinha do meu olho e percebo que é uma faca. Marcos passa ela pelo meu abdomen subindo para os meus seios.  Não aguento mais. Meus gritos parecem não ter efeito. Parece que ninguem escuta. Os movimentos de penetração cessam, e antes que eu possa pensar que a tortura acabou, recomeçam novamente.

"(Você): Não? O que você está querendo dizer mocinho?"

Tudo começa a girar quando um murro atinge meu estômago e outro seguido na minha boca.

"(Andy): Algo que eu nunca disse a ninguém. - meu coração para."

Minha boca fica seca.

"(Você): E o que seria? Dizer que eu ronco durante a noite? - brinco - Você já me disse isso antes."

Silêncio.

"(Andy): Você não ronca. Tava mentindo. Não é isso... Esquece." 

Sangue.

"(Você): Então o que é? Fale!"

Um clarão invade a sala e alguém aparece.

"(Andy): Eu te amo."

Uma batida do meu coração falha, e eu apago.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Mais um capitulo e outro bônus e Die For You 1º temporada acaba.
Aaaaaaah, to quase chorando T-T

A segunda temporada vai ter novos personagens, e sintam-se felizes, vou fazer uma votação pra saber se muda o nome "Die For You" e coloca outra coisa ou se eu apenas coloco algo pra dizer que é a continuação, tipo "Die for You - Recomeço", sabe, essas coisas assim... é um exemplo, eu vou fazer uma enquete e com fé em Deus (e no nosso Sr. Biersack) hoje eu posto a capa que eu fiz pra o Die For You - 1° Temporada u.u e coloco na apresentação dos personagens.

Quero saber se eu faço outro antes de começar o Die for you 2, ou se eu inicio direto. huehuehe. vcs que sabem.

Divulgando aqui algumas sugestões de imagines pra vocês lerem u.u 

Joubs Emox - http://imaginecomandrewblackveilbrides.blogspot.com.br/?m=1
Luana BVB - http://imaginecomandyblackveilbrides.blogspot.com.br/
Joanny Liz - http://imaginescomandybiesexy.blogspot.com/

Se tiver faltando algum, me avisem que eu posto dps.
Xoxo,
Gaby

Um comentário:

  1. OMG. Carai manuuuuuuuuuu veiiiiii.
    Inicia direto esse acarai u.u
    :3 bjinhos da Dark :3

    ResponderExcluir