quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

BVB VEM PRO BRASIL! Uhuuuuul \o/

Tá, eu sei que to atrasaderrimaaaa pra dar essa noticia, mas... CARALHO EU TO MUITO LOUCA DE ALEGRIA AQUI EM CASA! Uhuuuul! \o/ *dancinha da felicidade* , nem queiram ver eu dançando ehuehueheu. Maaaaas, voltando. Eu to sabendo que eles vão se apresentar somente no sábado no Monster of Rock em São Paulo (se eu estiver errada me corrijam pelo amor de deus!) e eu vi no Site Ingresso Rápido, que é onde tá vendendo os ingressos, que a MEIA ENTRADA (pra idosos - tem que ter mais ou igual a 60 anos gente - e estudantes) é R$ 190,00 e a INTEIRA R$380,00, isso é na pista.

A entrada é permitida a partir dos 16 anos \o/ menores só com algum responsável (ano que vem eu tenho 16 anos e vou sozinha... isso se minha mãe deixar '-' :'( Triste fim )  Comecem a bajular seus pais de agora hueheuhue, principalmente quem for menor de idade.

Todo mundo juntando dinheiro galerinha! \o/ Porque dá pra todo mundo ir. Eu fiquei sabendo que vai ser caravana tbm, mas isso depende de cada cidade, e acho que pra vcs terem melhores informações vcs deveriam ver no Ask do BVB Brasil, ou do Black Veil Brides Sincero (a ask rakeada do BVB Brasil), eu vi eles postando umas informações ontem, e acho que vcs vão se interessar.

Dps volto com imagine. euheuheuheu, consegui entrar no pc só agora de manhã, Vou ter uma folguinha do trabalho e vou ganhar meu celular novo pq derramaram refrigerante no meu, mas vou voltar a postar.

BVBeijo,
Gaby :*

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Die For You 25

*Andy On*

Depois de algumas horas que mais se pareceram milênios, meu celular toca. Olho para a tela, e está escrito "Numero Desconhecido". Claro, ele não seria idiota ao ponto de me dar o numero dele. Olho ao meu redor, e vejo um Patrick com os nervos a flor da pele juntamente com todos os membros do Black Veil Brides. Isso sim, é família. Mesmo eles sabendo de tudo, eles estão aqui, porque se preocupam comigo e com a (seu nome), mesmo depois de tudo o que eu lhes contei...

Atendo o telefone no segundo toque.

~Ligação on~

(Eu): Alô?
(Marcus): Isso ai frutinha, tudo certo. Cheguei são e salvo.
(Eu): Foda-se você. Eu quero saber dela. Como ela está? Você já cumpriu a tua parte no trato?
(Marcus): Eu que dou as ordens e faço as perguntas. - respiro fundo - Então, quantas pessoas tem ai com você?
(Eu): Nove pessoas.
(Marcus): Quem são?
(Eu): Jake, Jinxx, Ashley, CC, Tina, Patrick, Jared e mais dois seguranças.
(Marcus): Ótimo, ótimo.
(Eu): Ótimo o que?
(Marcus): Tá saindo tudo como eu planejei.
(Eu): Fale logo o que você quer. - digo impaciente
(Marcus): Vou libertar uma das mães depois que vcs fizerem algo pra mim. E acredite, de onde eu estou eu posso ver tudo, e todos.
(Eu): Você tá fugindo do trato seu filho da puta, você disse depois que você chegassem! - grito.
(Marcus): Hey, hey, eu que dito as regras aqui. Quer que eu comece o massacre?

Respiro fundo.

(Marcus): Isso mesmo. Perto do armário, no canto da sala, tem um telefone, atenda ele agora.
(Eu): Ok - caminho até o telefone e ele começa a tocar, e eu atendo - Alô?
(XxXx): Andrew?! - minha mãe grita do outro lado da linha.
(Eu): Mãe?! - alivio me consome - A senhora ta bem? Eu vou tirar a gente dessa mãe,  eu prometo!
(Amy): Filho eu... - a ligação cai.
(Marcus): Pronto, ai está a sua confirmação de que elas ainda estão vivas. Agora você vai ficar com ele. Então, eu quero que você vá ao mercado e compre duas cordas de fio sintético, uma fita isolante de 4 metros, uma cadeira de madeira, uma faca de excursão. Eu quero tudo isso dentro de 10 minutos. Da próxima vez que ligar, eu lhe dou as próximas coordenadas. Quero que quando eu desligar, você quebre esse telefone e o chip, se eu descobrir que não foi feito da forma que eu mandei...
(Eu): Mas o que meu celular tem...
(Marcus): Apenas faça o que eu estou lhe mandando. Não conte a ninguém sobre a ligação e mantenha todos ai.

A ligação cai.

~Ligação off ~

Olho para a tela do meu celular e está escrito "Fim da Ligação". Tenho vinte minutos pra fazer comprar pra um idiota, pra que ele possa poupar a vida de alguém. Foco novamente meu olhar na tela e lembro do que ele disse sobre o quebrar... maldito seja!

Rumo o celular no chão sem dizer nada enquanto percebo pela primeira vez que os caras estão me chamando. Não quero saber. É tudo minha culpa. Quebro a tela do meu celular com a minha bota depois de pisar em cima duas vezes, pego o chip no chão e o quebro no meio. Só sobrou o cartão de memoria. Pelo menos isso.

Pego minha carteira em cima da mesa de centro da sala e ando em direção a porta. Sinto que parei de andar quando meu corpo colide contra a parede e um Ash furioso da um murro na minha cara.  Não faço nada. Nem posso. Sinto como se meu corpo não estivesse aqui. Tudo parece fora do lugar. Parece surreal.

(Ash): CARALHO ANDREW! FALA QUE PORRA ELE FALOU CONTIGO!
(Eu): Não posso... - sinto o gosto metálico do sangue na minha lingua.
(Ash): COMO ASSIM NÃO PODE? NÓS ESTAMOS QUERENDO TE AJUDAR! FALE!
(Eu): Eu já disse que não posso. Preciso sair. Por favor, fiquem todos aqui, até eu voltar.
(Ash): Você vai pra onde? Por que não podemos sair?
(Eu): Não posso falar. Apenas me obedeçam. Desculpa irmão...

Saio de perto dele e abro a porta saindo do escritório do Patrick.

-----//-----

Entro no bendito mercado e compro tudo o que ele pediu. Merda, faltam 2 minutos e eu ainda to no caixa. Uma senhora com um vestido azul com flores amarelas me encara. Não quero nem saber como anda a linha aparecia. Devo estar parecendo um zumbi, ou coisa pior. '-'

(Senhora): O que houve com você meu querido? Se envolveu em briga foi? - a senhora diz.
(Eu): Ha?
(Senhora): Ta doendo?

Definitivamente eu devo estar péssimo. Passo a lingua pelo meu lábio inferior e sinto o corte perto do meu persing (ah foda-se não sei escrever isso e.e), o rosto da (Seu nome) volta a ocupar a minha mente quando me lembro do sangue escorrendo em seus labios. Fecho minhas mãos em punhos e cerro meu maxilar. Eu vou matar aquele desgraçado!

"Você acha que nós vamos ficar juntos pra sempre?" - ela me perguntou quando estavamos deitados na sua cama e ela fazia desenhos de caneta do meu braço sem tatuagens.
" Sim, se for a coisa certa..." - olhos em seus olhos.
"E se não for?" - ela para de desenhar e sua testa enruga.
"Eu farei dar certo." - beijo o topo de sua cabeça e a abraço.

O som irritante do telefone no meu bolso me desperta das minhas lembranças e eu o pego em meu bolso. Olho a tela. É ele.

~ Ligação on ~

(Marcus): Já tem tudo o que eu quero?
(Eu): Sim.
(Marcus): Do lado de fora do mercado você vai encontrar um carro, o único de todo o estacionamento do lado esquerdo. Quero que você entre nele e coloque as coisas la. Ligue o carro e dirija até o centro da cidade. Quando chegar la, eu te logo novamente. Não pare de dirigir até isso acontecer.

Ele desliga.

~ Ligação off ~

Termino de pagar as coisas e olho para o meu lado. A senhora desapareceu. Dou de ombros. Já tenho problemas de mais.

Faço conforme ele mandou e entro no carro. O estacionamento estava da forma que ele falou. Vazio. Me pergunto como ele sabia.

As ruas estão desertas, e eu dirijo o carro a 50km/h, pra não chamar muita atenção. Chego no centro e fico dando voltas até que vejo algo que não estava la da última vez. Meu coração para. Sera que é ela? Completo a volta e penso em parar, mas e se eu parar e ele fizer algo? Merda.

O celular começa a tocar no meu bolso e  eu o pego atendendo no terceiro toque.

~ Ligação on ~
(Marcus): Seu filho da puta! Eu vou matar todo mundo! Eu fui muito paciente com você rapaz, mas você não soube aproveitar a chance que eu lhe dei, se prepare para os funerais.
(Eu): Mas o que?
(Marcus): Pode atirar nessa vadia.
(Eu): NÃO PERA! EU NÃO TO ENTENDO EU... - grito.

A ligação cai.

Die For You 24

*Andy On*

"Ei" - eu disse. - "Eu te amo"
"Eu também te amo" - ela me respondeu de volta.
"Como você pode me amar?" - pergunto passando a ponta dos dedos no meu rosto.
"Amando. Simples assim." - ela abre o sorriso que eu mais amo.
"Talvez não deva..."
"Por que?"  - coloco o meu dedo indicador no meio das suas sobrancelhas quando elas se unem.
"Porque eu não sou uma pessoa boa o suficiente pra você... Fiz muitas coisas ruins. Uma das quais, fez muitas pessoas chorarem e me odiarem também."
"Não interessa... Eu não sou como as outras pessoas. E depois, tenho certeza que você não fez por mal."

Repasso essa conversa mentalmente a cada passa do que eu dou em direção aquela maldita sala vip. Eu deveria saber que ele voltaria. Claro, se fosse eu no lugar dele, eu voltava. Particularmente não me importo com o que pode acontecer comigo, eu me preocupo com ela. Ela não tem nada a ver com a história, nada a ver com o meu passado.

Quando ela descobrir ela vai me odiar, eu tenho certeza disso. Assim como eu me odeio. Ela não merece uma pessoa como eu.

Imagens das mãos do Marcos no corpo da (seu nome) invadem minha mente fazendo meu sangue ferver. DESGRAÇADO! A minha única reação foi rumar o microfone com tudo no chão, no meio da música, sem me importar com nada. Eu percebi que ela estava estranha quando a vi do palco, ela parecia estar com medo, e eu juro que vi uma lagrima escorrendo do rosto perfeito dela. Novamente as imagens corroem meu cérebro, só que dessa vez, ele está machucando-a e ela está chorando
e então eu perco todo o sentido, perco quando tipo de juízo que eu tenha, e a única coisa que resta é raiva, muita raiva. E muita vontade de bater no filho da puta que esta machucando a (seu nome).

Paro em frente a porta da sala onde ela está junto com ele e tento abri-la. Nada.

(Jinxx): Calma, Andy. Desse jeito você não vai abrir. Ela tá trancada!

Não sabia que eles tinha vindo atrás de mim. Ele fica na frente da porta.

(Eu): Calma o caralho Jinxx! Eu vou derrubar essa porra! Saia daí!
(Ashley): E depois você vai fazer o que?
(Eu): Matar esse filho da puta! Eu vi ele batendo nela!

Vejo vermelho. Puxo o Jinxx pelo braço e dou uma pesada na porta seguida de outra que faz a porta cair. Entro na sala e não consigo ver mais nada além da (seu nome). Ela está com o canto da boca sangrando, seus olhos estão inchados de tanto chorar, sua blusa está rasgada. O desgraçado esta com a mão em seus cabelos, segurando os seus braços por trás com um sorriso presunçoso em seus lábios. Labios esses que eu vou deformar junto com todo o seu corpo!

(Seu nome): Andy... - olho para ela e dou um passo em sua direção.
(Marcus): Não se aproxime. Se você tentar se aproximar, eu vou mata-la e joga-la daqui de cima. Você escolhe. - fecho minhas mãos em punhos ao lado do meu corpo tentando controlar a minha raiva.
(Eu): O que você quer Marcus?
(Marcus): Já não sabe? Pensei que fosse mais esperto Biersack. - ele diz irônico.
(Eu): Ela não tem nada a ver com isso.
(Marcus): Ela está envolvida com você. E todos que estão envolvidos com você, vão acabar da mesma forma..
(Seu nome): Andy, ele tá com a minha mãe! - ela grita, e ele puxa a cabeça dela.
(Marcus): Cala a boca sua putinha. Ou eu te mato.
(Eu): Com a mãe dela? Não me diga que...
(Marcus): Sim, a sua mãe e a mão da sua amiga também. Na verdade, eu coloquei uma armadilha na sua casa. Se alguém abrir a porta da sua casa, o que eu tenho certeza que vai, o gatilho da arma que esta dentro da boca da tua mãe vai disparar e os miolos dela vão estar na parede do seu quarto, disparando as outras duas armadilhas.
(Jake): An...
(Eu): Desgraçado! Como você pôde?! Minha mãe que cuidou de você seu filho da puta!
(Marcus): Pode gritar, me xingar, fazer o que você quiser. Ninguém mandou você tirar tudo o que eu tinha. Ninguém mandou você me tirar a Helena!
(Eu): Aquilo foi um acidente! - grito.
(Marcus): Acidente? Interessante... A morte da sua mãe e da sua namorada também vai ser um acidente! - ele grita de volta. - Você achou o que? Que ia sair impune? Que eu ia esquecer? Que ia ficar como ficou? Claro que não! Eu quero vingança! Vou te tirar tudo da mesma forma que você tirou de mim!

Ele pega uma arma que estava escondida nas suas costas e aponta pra cabeça da (seu nome). Meu estomago cai, e eu entro em desespero. Ele tem a minha mãe sob o poder dele. Tem a mãe da Tina, e tem a mulher que eu amo. Ele com certeza vai me destruir com isso. E eu não sei o que fazer. Sinto uma vontade insana de mata-lo, mas também quero tirar a (seu nome) dos braços dele e fugir com ela pra longe. Pra longe dessa merda toda. E salvar a minha mãe também. Ele coloca a arma na cabeça dela e ela começa a chorar novamente. Estou me sentindo pior que um lixo. Me odeio por coloca-la nessa situação, e tudo so piora porque eu estou impotente.

(Marcus): Então Biersack, eu tenho um plano. E você vai me ajudar com ele.
(Eu): Que plano? - pergunto impaciente.
(Marcus): Eu vou sair com a (seu nome) agora e...
(Eu): Nem morto! - vocifero.
(Marcus): Acho melhor você me escutar Biersack... - ele ameaça.
(Eu): Tá, tá, tá, fale!
(Marcus): Melhor assim. Eu vou sair com ela pelas portas dos fundos, vou precisar de um carro pra ir embora daqui, e eu acho bom ninguém me seguir. Eu quero o teu carro Andrew, e lá eu continuo a dar as coordenadas. Se tudo sair como planejado, eu libero uma das mamães da armadilha e  não machuco a vadiazinha aqui. Acredite, se você contar a policia, ou a qualquer pessoa, eu vou saber. De lá, eu ligo pra você e mando as coordenadas do que eu quero que você faça. O nosso joguinho acaba de começar.  - vejo ela balançando a cabeça pedindo pra eu não aceitar.
(Eu): E quem me garante que você vai fazer o que vocês está dizendo?
(Marcus): Ninguém. Ai é que está a graça da brincadeira. Você tem que confiar em mim sem saber se eu estou mentindo ou falando a verdade. - ele começa a rir.

Filho da puta.

(Marcus): Então, vai querer ir do meu jeito, ou eu posso mandar começar o massacre?

Que droga! Se eu não aceitar, ele vai matar minha mãe, a mãe da (seu nome), e de bônus a mãe da Tina. E pra piorar a situação, ele está com a (seu nome), na minha frente, com uma arma apontada pra cabeça dela e eu estou aqui, impotente sem poder fazer nada a não ser confiar nesse filho da puta me agarrando a uma única chance de salvar todas elas. Passo as mãos no meu cabelo, e o puxo até sentir dor. Não quero confiar nele, mas tenho que fazer isso.

(Marcus): Dois segundos Andrew. - enfio a mão no bolso e pego a chave jogando pra ele.
(Eu): Tá ai.

Ele se agacha e pega a chave.

(Marcus): Não me siga. E aguarde a minhas coordenadas.

Ele aponta a arma pra mim, e sai da sala devagar, levando a (seu nome) consigo. Eu realmente me odeio. Odeio muito. Quando ele sai do meu campo de visão, sinto meus joelhos colidindo contra o chaõ, e eu grito. Grito de raiva, de ódio, de medo, grito porque me sinto um inútil que não consegue salvar as pessoas que ama.

"Não tenha medo amor, eu sempre vou estar aqui com você, não vou lhe deixar. E sabe por quê? Porque eu amo você." - ela sorri, segura meu rosto com as duas mãos, e me beija.

Essa lembrança invade minha mente, e pela primeira vez em anos, eu me permito chorar.

Novidades, informações e desculpas.

Meninas, me perdoem por não ser um imagine, ia ser, até ele apagar -.-
Eu vou tentar postar o capitulo de hoje, e os outros 2 dos últimos domingos, até mais tarde, se eu não conseguir, será amanhã.
Meu irmão, mexendo no pc, acabou fechando a pagina, e por isso não salvou o capitulo bônus que eu ia dar a vcs, ai agora eu vou ter que escrever novamente, peço que tenham um pouco de paciência, eu vou fazer o máximo pra terminar ele até 00h , se não der, vou postar amanhã. Vcs devem ta reclamando dizendo que não precisa, mas precisa. Pq devido o novo personagem, e a nova história que vai começar agora, ou seja, quando terminar essa temporada do Die For You (sim, eu vou dividir Die For You em 3 temporadas uhuuul \o/), vcs tem que entender o que ta rolando, por isso o capitulo bônus u.u 
Vou fazer uma capa pra Die For You tbm, pra ficar mais legal :3, vou postar aqui dps.
Espero que gostem :3


Aaah, e eu vi uns comentários sobre vcs me procurarem nas redes sociais. Então, pra quem quiser me add no:
Facebook, meu nome tá Gabriela Souza
Aqui o link : https://www.facebook.com/deaad.moon
Whatsapp, pede no chat euheuehue,
Social Spirit, meu nome é Deadmoons1
Aqui o link: http://socialspirit.com.br/deadmoons1
Wattpad, meu nome é Deadmoons
Aqui o link: http://www.wattpad.com/user/deadmoons
(uma amiga minha pediu pra eu escrever o imagine do Andy lá também, eu estou pensando nisso, não sei ainda. Mas se vocês quiserem, e tiverem a mesma paciência que estão tendo aqui, eu posso escrever lá tbm heuehueh, mas seria a continuação desse, a 2° e a 3° temp. do Die For You, mas eu ia começar por essa. vcs que sabem.)

Bom, eu acho que é só isso, se vcs tiverem mais alguma duvida, critica, ou recado, ou divulgação, sei lá, só deixar nos comentários, ou me chamar no chat, u.u

É isso meninas,
Desculpa novamente,
Gaby :*


                                                           (AGORA ANDY <3 To indo ><)